segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Onde a porca torce o rabo...

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009


Olha... fazer planos, tomar decisões isso até que é fácil, ou melhor relativamente fácil... mas as tais atitudes e a prática das escolhas, as ações que legitimizam as decisões, fatos consumados e palpáveis... Meu Deus!!! será que é fácil pra alguém?! Talvez seja pra um mentiroso super determinado, racional do tipo diuturno, daqueles que normalmente começam suas falas assim:
-Sabe meu bem... eu sou aquele tipo de pessoa...
Mas tenho percebido que melhor começar sempre por coisas menores, tipo:
Diminuir a ingestão de café, cortar o açúcar, caminhar (mesmo pagando pra alguém te bater se você falar que não ta afim)... Mentiraaaaaaaaaaaaa!
Tudo o que diz respeito a mudanças, sejam elas leves ou radicais, envolvem dificuldades e assusta muito! Especialmente por que as tais mudanças sempre vem carregadas de emoções, sentimentos e sensações com cobertura de muito medo, gente que-te-ama-e-só-quer-seu-bem metendo o bedelho, além de vazios insuportáveis, Quer saber? se bobear... ninguém se move pra canto nenhum...
Acho que o fundamental nisso tudo, é uma boa e cavalar dose de amor próprio bem distribuído ... Abandonar as precipitações e urgências da adolescência.Perceber que você não é a única pessoa que importa.Que seu bem-estar não depende de “massacre da serra elétrica" na vida dos outros.Que tem gente sofrendo a rodo, tanto e até mais do que você...
Hora boa também de abandonar as culpas vencidas ( suas e dos outros), abandonar o posto de vitima , mostrar a cara pra vida e perceber que ela não ta a fim de te ferrar... e que se bobear a pior “surpresa” que você vai ter, é quando olhar pra trás, descobrir que o seu pior algoz... foi você mesmo.

Quem precisa de “Floras” né?!

24 contribuições para o avesso do Blog:

Luiz Gonzaga disse...

Eu, pra começar aos poucos, decidí cortar o refrigerante. Mais tarde talvez o açúcar e, antes de cortar a cerveja, cortarei talvez os pulsos.

Fora a brincadeira, meu velho; eu penso que o melhor para abandonar um "hábito ruím" é substituí-lo por outro melhor. Não deixar espaços vazios e tentar conhecer a sí próprio.
Valeu, meu velho.

digitaqueeuteleio disse...

Já deixei de tomar refrigerantes há 12 anos!

Cada ano procuro eliminar ou substituir algum hábito menos favorável por outro mais produtivo. E assim o blog veio como uma destas coisas favoráveis.

Mas acho que nem todo mundo quer mudanças, muitos só mudam o discurso, porque mudanças assustam mesmo e dá trabalho! Ô se dá!

Passa no meu blog que tem um selo para você lá!

Um abraço.
Marcelo.

Dama de Cinzas disse...

Seu texto tá muito bonito e cheio de verdades!

Sobre mudanças eu digo que elas são muito necessárias, mas dolorosas, sempre dolorosas...

Beijocas

Cami disse...

Eu aprendi uma coisa: quando a gente protela muito uma mudança, principalmente as necessárias, não adianta se fazer de bicho preguiça que a vida vem a toda e mete goela a baixo, a gente querendo mudar ou não.
E depois que isso acontece, se percebe que somos completamente adaptáveis a qualquer mudança.
O nosso problema é que somos todos uns cagões.

Este teu post é show! Mais verídico que este, só um soco na cara de quem ainda não quer enxergar!

Bjão!

Inubia disse...

Percebo quanto eu sou avesso a mudanças, protelo o tempo inteiro acho que por medo, sei lá insegurança mesmo... e só enfrento quando acho que não tenho outra alternativa. Gostei do texto me fez refletir... isso é muito bom!!!
Bjs

Beto Canales disse...

Boa Robson. eu vou cortar são as promessas.

Andréa disse...

Lindo!!
Acho que estamos no mesmo passo.
Desde de que resolvi seguir adiante e não mais me incomodar com os outros, estou crescendo e mudando a cada dia.
E isso é tão bom...
Aliás, parece que os tombos diminuiram, os erros tornaram-se menos constantes.
Como disse num post recente, no promises!!
Beijo grande,

Andréa

...vdj... disse...

Descartar vícios, abrir mão de algumas essências [talvez] ruins não é fácil... mas se eu não "meter a cara", ninguém vai fazer por mim.

Grato pelas palavras... serviram pra analisar o que me rodeia e a mim mesmo.

[]'s
.
.
.

Mary West disse...

Eu preciso para com o cigarro. E amores mal resolvidos.

Michelle Dangeli disse...

Oi, apareceu a rosa azul. Feliz Ano Novo!

Pelos caminhos da vida. disse...

Não consigo deixar o refrigerante de lado.

Bom dia.

beijooo.

acqua disse...

Eu confesso, como boa sagitariana que sou que eu simplesmente adoro mudanças. Tudo igual sempre me cansa. Tudo a mesma coisa me deixa entendiada. Então, mudar pra mim é uma questão de necessidade. Claro, contato que não seja a bendita mudança na língua... E olha que eu falei que não iria falar nesse assunto...

felipe lima disse...

E eu vou deixar a mania de querer ser feliz pra sempre.

Michele Moura disse...

Dentre tantas coisas que eu não sei, uma das bem poucas que eu sei é que, sim, somos nós os nossos piores algozes...

... e se existe alguém que pode libertar-nos dos nossos maus hábitos esse alguém, mais uma vez, somos nós!

O primeiro ponto a considerar é o porquê da necessidade de mudar: pretendo mudar porque eu quero mudar ou porque os outros querem que eu mude?

Depois disso é preciso analisar e enfrentar o que nos impede de mudar: o medo.

Medo de não ser capaz de mudar, medo de tentar mudar e fracassar na tentativa, medo de mudar um hábito e não sentir diferença alguma, medo de mudar e não sentir-se satisfeito com a mudança, enfim... medo!

O problema é que sob a influência do medo muitas vezes parece menos doloroso e menos trabalhoso deixar como está. Acabamos nos acomodando ao que nos incomoda.

Philip Rangel disse...

Opa e ai meu amigo..
ausente aki ne...mas to aki de volta....

é cada um de nos temos que mudar nossos habitos ne...so assim poderemos conseguir alguma coisa..sempre arriscar pra coisas novas....

abraços

Michelle Dangeli disse...

Cada dia que passa eu me convenço cada vez mais que amor próprio é um poderoso combustível pra nos livrar de várias mazelas, de vários melindres. Tá dando certo comigo...

CARLA ROCHA disse...

Sabe o que é importante? Começar. Isso já é 50%! Beijo grande! Arrasou nos selos hein amigo?

Michelle Dangeli disse...

Uia, kd tu? Promessa é divida hein! Está reservado o seu lugar na minha aquarela!!!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Minha mamãe não perdeu nem 1 capítulo; "leu" de capa a capa o folhetim global.
Eu andei curtindo Negócio Da China, pelo humorismo; mas daí o núcleo dramático começou a predominar, e abandonei.
Afinal, eu sou Homem com H, como disse o Ney Mato Grosso...; e Homem não fica vendo estorinha de traição e romance. Homem levanta ferro, faz uns rolamentos, paga agachamento, enfim: "Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá!".
.

Robson disse...

hahahahahahahahahahahahahaha!!!!!!!!!!!!

Conde Vlad Drakuléa disse...

ainda não cortei o refrigerante nem o açúcar, heuheheuhe, e acho que vai demorar para que tais fatos ocorram ainda, heuhehehhhe! Ecelente texto, muito bem dito, no final, o homem continua sendo o lobo do próprio homem! Um grande abraço do conde ;)

Nathália disse...

Mudanças são necessárias, mas são muito difíceis de serem feitas.
Como você disse, mudar implica em muitas outras coisas.
Muitas outras coisas que não medo.

Beijo!

Jana disse...

Quem precisa de Floras se tem um inimigo dentro de si mesmo?

Abração Robson!
;)

eliane disse...

Ah, meu amigo, mudanças são necessárias, sim.
Quando eu criar vergonha na cara, paro de fumar.
abraço