domingo, 4 de julho de 2010

Reprises, citações soltas e talvez intraduzíveis…

domingo, 4 de julho de 2010

dia_cinza_40x30

Hoje amanheceu cinza e chovendo, fora e dentro de mim. O cinza de hoje não é o mesmo que falei pro homeopata textos atrás... Meu cinza mudou e eu não havia percebido.
Os ciclos que se fecham e iniciam são cada vez mais repletos de verossimilhanças e acho bom...
A verdade é uma dádiva das mais preciosas, mas nem por isso se torna fácil de ser ouvida, falada ou sentida...às vezes ela dói como um punhal entranhado nas vísceras.

As minhas são assim, se mostram nuas e cruas. Mas é assim que prefiro vê-las, cada vez mais despidas, cada vez mais cruas , olho no olho.
Observo mudanças visíveis e importantes. Não sei se por ser cantor e buscar na interpretação a forma de apresentar minha arte, posso sair de uma música densa e melancólica pra uma canção leve e às vezes pueril – como as boas cantigas de criança – saindo da tristeza pra me tornar um serelepe e alegre Pedrinho de Monteiro Lobato.

E enquanto isso - aqui dentro de mim - não estar em sintonia com nenhuma daquelas verdades que os personagens interpretados apresentam naquele momento.
Isso me tornou mais centrado, concentrado e responsável com meus compromissos do “ser”, o que também acho muito bom.
Quero viver um dia de cada vez, ser fiel a mim mesmo e ao que sou.

"E oferecer apenas o trajeto que posso cumprir".

"Quando somos honestos e nos amamos na primeira pessoa, as outras, automáticamente são beneficiadas".
Percebo com muita clareza que mudanças produtivas acontecem a partir de quem somos de verdade... ainda que tenhamos apenas um pequeno vislumbre pra começar.

"E isso me faz bem... Como uma brisa boa soprando atráves de uma cortina".

Termino deixando que a canção do Gil traduza mais e mais o que tenho ainda pra dizer...

ou temos todos... quem sabe?
Sabe, gente.

É tanta coisa pra gente saber.

O que cantar, como andar, aonde ir.

O que dizer, o que calar, a quem querer.

Sabe, gente.

É tanta coisa que eu fico sem jeito.

Sou eu sozinho e esse nó no peito.

Já desfeito em lágrimas que eu luto pra esconder.

Sabe, gente.

Eu sei que no fundo o problema é só da gente.

E só do coração dizer não, quando a mente.

Tenta nos levar pra casa do sofrer.

E quando escutar um samba-canção.

Assim como: "Eu preciso aprender a ser só".

Reagir e ouvir o coração responder:

“Eu preciso aprender a só ser."

---------------

Imagem: Internet

Musica: "Eu preciso aprender a só ser" - Gilberto Gil

Ps: Não tenho nenhum compromisso com a coerência na escrita, além do mais não sou escritor… só penso alto.

Ps2: Aqui também a conectividade de idéias não é compulsória.

31 contribuições para o avesso do Blog:

Dama de Cinzas disse...

Tudo passa por nos conhecermos e gostarmos do que somos, pelo menos o mínimo necessário, a partir daí as descobertas sempre tem um saldo positivo...

Beijocas

Paula Barros disse...

O cinza trouxe um texto que gostei muito, junto com a imagem.

Aqui desde ontem sinto o dia muito bonito, escandalosamente bonito. Céu bem zaul, sol, brisa. E pensava nessa questão do tempo lá fora, e do do tempo dentro da gente. Que às vezes combinam e que às vezes não.

O melhor de tudo é percebermos que somos justamente como a natureza, dias cinzas, dias azulados, dias chuvosos, dias ensolarados.

Gostei da sua analogia com a interpretação das músicas. Gosto desse seu olhar para o interior.

abraço

Paulo Braccini disse...

Magnificamente belas e verdadeiras suas palavras, emoções sentimentos ... nada mais a acrescentar a não ser que "NÓS precisamos aprender a só SER! ...

bjux

obs: demorou mas voltou com força eim? #emocionado


;-)

Fernanda Elisa disse...

Robson, acho que comentei sem querer no post errado. O comentário deste acabou ficando no de baixo. Acho que vc vai entender mesmo assim...rsrs

Luis Fabiano disse...

Robson, obrigado pela visita. A ideia que tenho de Vestiário é a mesma que a sua. Se vc notar bem, os meus quadros estão repletos de signos sobre isso: a piada, o sexo, dinheiro, fama, etc. Sobre escrever sem coerência: Nelson Rodrigues já dizia que toda coerência é, no mínimo, suspeita. Abração!

Serginho Tavares disse...

Mas nem tudo precisa ser coerente não é querido?
O que importa é a sinceridade das palavras

Abração

Lobo Cinzento disse...

Engraçado... eu me sinto mais confortável na névoa. Por mais que dê um pouco de medo não conseguir enxergar quase nada do alheio, é muito confortante saber que eles também não são capazes de te enxergar.

Verdades ou mentiras...

Abração Robson!

Levar a caco na Universal? Só se for pra deixar na prota e sair correndo né? Porque se eu por o pé lá dentro eu viro pó! XD

Blog da Fatima disse...

Para que coerência em um mundo tão incoerente. Belo texto....mas acredite, apesar de aqui fazer um frio danado, muitas vezes dentro de mim predomina o cinza...o nebuloso.

Bjos no♥

Mulher Asterísco disse...

As minhas são assim, se mostram nuas e cruas. Mas é assim que prefiro vê-las, cada vez mais despidas, cada vez mais cruas , olho no olho.

2 votos. Mas só tem um problema: tenho mania de acreditar no que me dizem, até quando eu resolvo mentir (sem perceber) para mim mesma...

Inside Me disse...

"Quando somos honestos e nos amamos na primeira pessoa, as outras, automáticamente são beneficiadas".
essa frase é tão verdade, mas sabe aquele tipo de coisa tão comum, natural mas ninguém pensou antes? pois é... um prof da gente de penal tava na sala de aula e comentou algo assim a respeito de um autor: zaffaroni, disse q ele mostra coisas que estavam lá, mas a gente num tinha se dado conta, pensei nisso qd li essa frase... bjs, moço... sempre gratificante voltar aqui.

Francisco Cisco disse...

Você falou em algo que penso exatamente igual. A verdade não é fácil de ser ouvida, falada, ou sentida! Ainda assim, prefiro que alguém fique chateado por uma verdade que digo, do que por uma mentira. Ou às vezes, omissão!
Todo artista, devido a sua sensibilidade, tem dias cinzas ou lindos com céu azul, e isso se reflete não só na música, mas em outras artes também. Coisa boa quem pode ser assim...!
Um abração!

Marcelo Moraes disse...

É bom, isso é muito bom. Saber que somos "nossos" mesmo é tãããão legal.rss Você percebe que, antes de tudo, tem que gostar de si para que os outros possam sentir o mesmo, não é?

Abraço, pessoa!
Já "revoltei" ao meu canto rss

Andrea Pagano disse...

Robson, bom dia!
As vezes precisamos de entrar nos quartos escuros para que possamos nos ouvir...
É necessário, vital, assim entrarmos em nossos lugares mais profundos de nosso ser, assim percebemos as mudanças ou não.

Ando assim como vc, pois hoje estou com tempo até de pensar em minha essencia e minhas necessidades... São as descobertas! E que elas venham...

Fiz uma referência ao seu texto no meu post atual, me inspirou também!!!

Bjs

(Ah a Pietra com certeza é uma dos meus presentes mais preciosos, também fui Agraciada com a Brisa, ambas são minha vitalidade...Obrigada)

Desarranjo Sintético disse...

É tão ruim quando nos sentimos assim né? Mas pelo jeito tu já se conhece muito bem nesse estado, e se conhecer é a base da solução!
Todos temos nossos cinzas, mas do outro lado, na outra esfera refletindo-o está o laranja, a vitória, a alegria.
Esses momentos passam, mais cedo ou mais tarde, e como você está encarando de frente apesar de ser difícil (na verdade nunca é fácil, mas é admirável alguém que enrfenta bem suas verdades em vez de maquiá-las) curar-se-á mais rápido.

Abração

Saúde e Sorte.
Fábio.

Ludmila Melgaço disse...

Somos todos assim: pensamos alto, colocamos toda a nossa bagunça em palavras e assim fazemos os nossos dias mais bonitos, sem esperar que alguém nos entenda.
Acho lindo essa coisa de ser sem ter sentido!

(Obrigada pela visita! E pode esperar que volto mais vezes por aqui!)

Denise disse...

Ser inteiro já é algo magnifico......e vc o é de forma tão intensa e verdadeira.


carinho

Insana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Campos disse...

Olá Robson!
Somos seres em constante mudança, mas aquela essencia peculiar as vezes não muda...
O caminho é esse mesmo, amar-se na primeira pessoa e confiar em si!
De mudar, nunca deixaremos...
Gde abraço!

Luciana P. disse...

Anda muito sério você, hein... Tá parecendo eu...
Se bem que tenho conseguido responder às minhas perguntas por conta da minha reclusão.
Gostei de pensar contigo aqui.
Acho que já aprendi a ser só, mesmo rodeada de gente.

Beijos pra ti e ótimo domingo!

Insana disse...

O amanhecer será radiante com o calor do sol.

bjs
Insana

CARLA ROCHA disse...

E pensa mesmo! Alto e avante! beijo grande!

Fernanda Huppert disse...

Oi Robson...fiquei um tempo afastada e como disse no Blog do Jamal, que bom quando retorno ler tantos escritos bons e com conteúdo.Não é necessário ser escritor meu amigo(me permita chama-lo assim), basta apenas deixar como você o fez, seu coração derramar palavras por tuas mãos.O bom da vida é isso, sempre estamos em rotação...mudanças sejam elas quais forem tem um porque, lá na frente vamos tomar esta conciência da necessidade delas.Eu por muitas vezes estou assim...meus dias em tons cinzas , faz com que eu reflita mais sobre tudo que me acerca e tudo que me faz ser o que sou...

Imaginei agora se nossos sentimentos tivessem tons coloridas....rs, pensa!...:)[bobagem de uma cabeça pensante, em um dia de frio e chuvoso].

É isso

Gosto de textos assim...como os teus...faz com que viajemos juntos.

Bjo!

Tudo de bom aí!

claudete disse...

hum...quem não tem os seus dias de cinza mais cinzentos ainda...C'est la vie ...cheia de brumas mas com o sol a nos esperar no amanhã seguinte. Abraços.

Desarranjo Sintético disse...

Ops, já passei por aqui ehehhe!
Espero que esteja tudo se resolvendo por aí e que volte logo para novas postagens!

Abraços.

Fábio.

Paula Barros disse...

Robson, espero que esteja tudo bem. E que o tempo tenha melhorado, e o céu interno esteja azulzinho, repleto de estrelas, e de muito som.

abraço

Michelle Dangeli disse...

Robson, sabe, como eu disse aos amigos da internet: o Dangeli Blog retomou suas cores depois de um longo período em escala de cinza, mas a verdade é que: Não foi ele, fui eu...
Coloquei as lentes cor de rosa e fui à luta!Bjão.

A. Reiffer disse...

É, o meus cinzas também mudam de cor, mas continuam cinzas... Abraço, Robson!

Maris Morgenstern disse...

conectividades raramente são compulsórias

William Pecini disse...

Primeiramente devo dizer que é um prazer poder explorar um pouquinho de suas ideias sobre essa questao tao complexa,enxergar alem do que espelhos podem ver. Onde vc msm disse que a conectividade nao e compulsoria rrsrsr...Eu compredo e posso te dizer que somos apaixonados pela diferença de opinioes, afinal para se obter o cinza, e necessario uma mistura de outras cores. Tomo a libertade de comparar as nossas cores como ideias que nos motivam a sempre conhecer mais das interrogativas que nos unem. E estimulante ler tal dissertação. Um abraço!

Raphaah Abreu disse...

O sangue que jorra destas paredes,
Me agrada e muito!

AS idéias vistas aqui,
São de lança chamas.

Obrigado por este turbilhão de palavras!

Agora te sigo aki!

Abs.

Daniel Savio disse...

Mas mesmo sem compromisso com escrita, fica um bom texto...

Você está se reencontrando, é apenas isto, as vezes estranhamos estes movimentos, mas a vida acaba nos fazendo ter eles.

Fique com Deus, menino Robson Schneider.
Um abraço.