sábado, 9 de maio de 2009

O amor só mudou de cor...

sábado, 9 de maio de 2009
Estava ouvindo uma das músicas que mais gosto da Ana Carolina (aliás da qual sou fã) chamada "Vestido estampado" uma samba com cara de antigo. Fantástico!
Mas uma frase dela me chamou a atenção "O amor só mudou de cor... agora ja ta desbotado"...
Bem no contexto faz total sentido, mas se ampliarmos isso fica claro que nem sempre quando o amor muda de cor é pra desbotar. Creio nas matizes, tons e coloridos que o amor pode sofrer na sua trajetória.
Não acho que exista amor menor, da mesma forma que não acho que exista superioridade de cores... o desbotar não faz o amor menos amor... amor não diminui, ele existe ou não... quem ama menos nunca amou de fato.
Pode perder o brilho, a intensidade, mudar de direção mas ainda assim será amor... sempre.
 E isso o difere da paixão... "menos paixão" significa ausência desta, pois pra existir ela exige picos altissimos... do contrário também não é paixão... e pra acentuar ela não desbota... dissipa-se num piscar de olhos.

4 contribuições para o avesso do Blog:

Dama de Cinzas disse...

Ai a paixão!! (suspiros)

Eu queria muito me apaixonar de novo, mas ando muito travada nesse sentido... Vamos esperar pra que a vida me surpreenda...

Quanto a desbotar, tudo pode acontecer com a paixão, mas acho que mesmo mudando de cor, ela tende a um desbotamento com o tempo. Mas nem só de paixão é feito um relacionamento. Acho que a paixão é o que impulsiona duas pessoas ficarem juntas, mas o que é construído entre os dois com o tempo é que diz se aquele relacionamento tende a durar...

Beijocas

Marcelo disse...

Talvez seja uma forma de dizer "não quero continuar com esta lembrança (da dor)..." A cor "desbota", mas no fim, não sai...

Um abraço.
@Celitu

Michele Moura disse...

E em uma frase resumistes tudo:

"... quem ama menos nunca amou de fato."

Andréa disse...

Menino!!
Que saudades dos seus textos!!
Você faz uma falta danada!!
E sobre suas observações quanto ao amor, penso que o amor começa sim com tons fortes, marcantes.
E se com o tempo vai desbotando, é para adquirir tonalidades pasteis, de delicadeza ímpar.
Beijo grande,
Andréa