terça-feira, 2 de dezembro de 2008

People are Strange

terça-feira, 2 de dezembro de 2008
Sinto-me totalmente sem inspiração ao mesmo tempo em que me sufoco com ela.
Nesse tempo avalio tudo e todos, não sob o costumeiro olhar do cotidiano, de quem faz charges escritas dos acontecimentos imprevisíveis ou tornando-os assim quando são totalmente banais...
Olho quem passa e quem fica, com olhar de raio X assumindo os riscos de tal ação.
Hoje quero saber quem deve ficar e ser cultivado. Conto-os nos dedos.
Avalio unilateralidades e me canso delas... Cansei-me de ações e reações, de relacionamentos que só acontecem quando apenas um lado se move e isso é lugar bastante comum...
O prazer de buscar fica comprometido, quando os passos sempre partem do mesmo lugar... Aprendi também a não usar o "santo nome" da amizade em vão... amizade é sacerdócio.
Existem dores e alegrias que só os melhores representantes podem tocar... sem morrer de perplexidade ou fugirem aos raios, relâmpagos, furacões e silencios soturnos que emanam da arca dessa aliança.
E além disso percebi que meu cotidiano precisa ser revisto e corrigido, pois nem sempre é engraçado e leve... pois a começar de mim... People are strange...
Deixo a melhor tradução disso para o The Doors na linda figura do Jim Morrison.




Ps: Acho que agora acertei com o shampoo!

31 contribuições para o avesso do Blog:

Dama de Cinzas disse...

"Cansei-me de ações e reações, de relacionamentos que só acontecem quando apenas um lado se move e isso é lugar bastante comum"

Vc sabe que estou passando pela mesma situação! E estou numa puta crise interna que eu fico tentando ver onde erro, o que tenho feito que tem afastado as pessoas de mim!

Sim, Robson! Porque as pessoas devolvem para a gente algo que passamos para elas!

Se é que pode te ajudar, tente ver se vc não está sendo muito "volátil", apostando em muitas direções sem seguir uma, duas ou três com vontade!

Às vezes reclamamos que os outros não estão ao nosso lado, mas devemos pensar se estamos do lado dessa pessoa...

Desculpe se fui dura, mas acho que por tudo que já conversamos posso dizer essas coisas e não estou apontando o dedo e te acusando, apenas deixando aqui a linha de raciocínio que tenho usado ultimamente para identificar os meus próprios erros!

Beijocas

Beto Canales disse...

Sabe, essas horas eu procuro ter o que menos tenho: calma.

Abração,

[Farelos e Sílabas] disse...

...

“Hoje quero saber quem deve ficar e ser cultivado. Conto-os nos dedos.”

Meu amigo, se me permite umas poucas letras em tantas tuas, não mais faça. Seja simplesmente o prazeroso ser que és. Quanto a quem pode, deve ou de fato ficará, não nos é importante na caminhada. Ser-se. Que privilégio! Sabe, alguns se perdem neste ponto. Outros há que perdem os próprios alvos. Não falo de ti, mas uso a generalização pra pincelar a certeza que o papel do Agricultor (ou Jardineiro Fiel pra ficar mais poético) não é nosso.

Durante minha caminhada, por exemplo, já passei por tanta unilateralidade que sou capaz de dizer que é só o que vivi. Por outro lado, sei que sobre meus ombros pesam os frutos de minhas ações também. Perdoe-me se a primeira leitura me coloca vitimizado-de-mim. Não se trata disso. Apenas compartilho as impressões que já tive de mim mesmo, mas reavaliando-as discirno que a mim compete o caminhar. “O mais”, certamente, será acrescentado – em ações, reações e lições (a começar em mim) para justa cooperação ao meu próprio bem.

“Existem dores e alegrias que só os melhores representantes podem tocar... sem morrer de perplexidade ou fugirem aos raios, relâmpagos, furacões e silencios soturnos que emanam da arca dessa aliança.”

Eu me rendo a esta verdade dita em sabedoria simples e raiz de palavras sérias.

Ficarei por aqui. O “aqui” é apenas meu jeito simples de dizer, bem presente.

Abraço na esperança da bilateralidade!

...

Robson disse...

Meus queridos obrigado pelas palavras de cada um... mas cabe identificar aqui que me refiro a um tipo específico de pessoas...
As sanguessugas... percebo que minha vida estava, digo, estava... permeada dessas pessoas.
Tipo você me serve enquanto me serve...
Tem uma hora que a ficha da gente cai né?! hehehehehee

Luiz Gonzaga disse...

yes, people are strange.
E se elas não fossem... que estranho seria.

Pra mim, amizade é uma palavra que só pode ser sussurrada, no contrário,
ela se perde no ar.

abç, velho.

Aline Dias disse...

Essa música sempre me lembra o schumacher e Lost Boys =)

afobório disse...

gostei do texto e também acho as pessoas estranhas, eu mesmo me acho estranho, mas a verdade é que estranho é quase sempre aquilo que é só alheio.

tenho certeza de que com o grande poeta Jim encontrá bons pensamentos e horas boas.

sabe, a música me é boa para todos os momentos, normalmente é só acertar o golpe e catar a trilha certa.

eu por exemplo, amo "esvair-me em minha própria face".


um abraço. sorte e luz.

CARLA ROCHA disse...

Caro amigo, ontem eu conversava com uma pessoa e dizia a ela que em certas fases da vida "sintonizamos" com tipos que ao passar dos anos só nos causam estranhamento... Acredito que isso faz com que aprendamos a dizer "NÃO" - os famosos limites.Aprendemos que é possível escolhermos o que nos serve ou não nos serve mais. Algumas vezes nos surpreendemos esvaziando toneladas de coisas dos nossos ármários (internos também) e podemos nos surpreender em meio ao vazio. Isso é bom,é recomeço, é renascimento!!! Para saber se de fato aprendemos a lição, é só observarmos com atenção se não repetimos o que é conhecido, mais fácil, mais cômodo.Beijo grande e uma semana iluminada procê!

[Farelos e Sílabas] disse...

...


1º Ato:
Entendido. Câmbio. (rs)


2º Ato:
Graças a Deus pelas fichas caídas, neste caso!


...

Adriano Queiroz disse...

Pessoas são estranhas e eu adoro, as que me dão medo são aquelas que dizem que está tudo sobre controle sempre, estão sempre sorrindo e está tudo muito bem resolvido. Não tem conflitos e crises.
Medo.
Amigos são amores sem sexo, sabemos quando é, se forçou melhor nem dar aquela importância devida.
Acho que viajei.

Abraços.

Cris Animal disse...

Sou meio louca vagando nesse mundo de relacionamento. Louca no sentido de ainda não ter encontrado uma definição para as minhas definições....rs
Um lado só em dois? Sem chance. Se não houverem duas faces tentando um compasso no mesmo ritmo, não faz sentido. Um só coração acho literatura demais, pq é preciso haver dois corações, dois seres singulares que se unem, mas em qq tipo de relacionamento que haja sempre o encontro desses dois seres em um mesmo compasso. Morrerei sozinha........rsrsrsrs
Beijo pra vc!

em tempo: te linkei

Lia disse...

Pois é...menos é sempre mais. NéE como vc disse e os the doors cantam people are strange. na continuação da canção, nós todos tb...
Difícil viver...Mas acho que deve ser bonito. Ou ter lá seu sentido.
Gostei do seu blog. Ultimamente tenho passeado por uma porção, são o que mais há de interessante ultimamente. Ver como parecemos todos e ao mesmo tempo como somos totalmente diversos. Strangers...

Robson disse...

Nossa to adorando ler tudo o que esta sendo escrito aqui!
Demais mesmo!

Michele Moura disse...

Tem um e-mail para ti! :)
Espero que compreendas...

"silencios soturnos" -- me fez remoer os meus próprios sumiços da blogosfera por pura contingência da vida... =/

Eu, mas eu sempre volto! ;)

beijo grande meu querido

Robson disse...

Recebi o email Mich. me fez muito bem! de verdade você é uma doce amiga.

Conde Vlad Drakuléa disse...

Eu acho que todos aqui deram excelentes contribuições para ti, ei, se for um sanguessuga mesmo, eu posso mandar o Van Helsing atrás dele... Sabe, falando sério agora, eu muitas vezes também já passei porisso e é mesmo muito desagradável... Mas faz parte, se bem que a nós sempre cabe o poder de mudar e selecionar melhor as pessoas, mas esse poder é tão... difícil de ser usado... Quando eu não estou satisfeito com alguém eu falo mesmo, as vezes pode demorar um pouco, mas eu acabo falando, heudheudhe, mas eu acho positivo, afinal, aqueles que roubam nosso sangue não mereçem perdão, he,he,he pelo menos o meu que geralmente costuma ser um RH+ safra 89, de "uvas orientais" as mais finas, heudheudheudhe...
Grande abraço amigão, voei....

Jana disse...

"Pessoas ficam estranhas quando você é um estranho".

Somos todos estranhos.
Sem inspiração e, ao mesmo tempo, enterrados nela até os cabelos.

Abraços Robson!
:)

Cara de 30 disse...

Quem nunca esteve do lado de um "sanguessuga" não teve relacionamentos em sua vida, não?! E não precisam ser relacionamentos amorosos/afetivos. Aliás, acho que isso acontece mais com as (falsas) "amizades".

Eu já me senti assim, largado por quem considerava amigo, algumas vezes e em oportunidades distintas de minha vida... Não tem uma fórmula milagrosa para escaparmos disso... Pelo menos eu acho que não tem, né?!

No meu caso, o tempo curou estas feridas. Mas o engraçado é que as verdadeiras amizades se aproximam de você quando essas falsas te derrubam... E o mais interessante é que nunca tinha percebido isso antes de escrever esse comentário.

Com certeza seus verdadeiros amigos estarão se aproximando de você...

Robson disse...

cada vez que passo aqui me sinto enriquecido comma qualidade dos comentários... Valeu Conde, Jana e Beto de 30 - Aliás que verdade vc falou meu caro cara!

Abraão Vitoriano de Sousa disse...

é minha primeiva vez, e posso declarar que foi tão boa...rs
seus textos derramam luz... é o que sinto viu?rs
Abraços, e admiro sua escrita!

Robson disse...

Obrigado Abraão, fico feliz que tenha gostado.Volte mais vezes!
Abraço

.Dazinha. disse...

'People are strange, when you're a stranger
Faces look ugly when you're alone'

Adoro essa musica.
Temos essa mania incomoda de achar que o nosso bem querer vale por 2 ou mais. Não vale não, precisa de reciprocidade, precisam fazer valer!
Todo dia é dia de avaliar,rs.

Beijão!

Leonardo Werneck disse...

As pessoas são por demais estranhas e eu que o diga... me enquadro totalmente!

gostei do blog.

abraços

felipe lima disse...

Passamos pela mesma fase, Robson.

felipe lima disse...

Volto, prometo, para ler e olhar tudo aqui com mais calma. Meu sumiço é provisório. Grande abraço.

Nathália disse...

O santo nome da amizade.
Penso exatamente o mesmo. Só digo que é meu amigo quem é meu amigo mesmo. Assim como falar 'eu te amo'.

Beijo!

ICH LÍEBE DÍCH disse...

" A nossa imaturidade em querer a perfeição das pessoas,acredito que seja o vilão desses fracassos nos relacionamentos. Normalmente viram decepções, frustrações, porque esperamos demais das pessoas, elas são o que são , e não aquilo que queremos que sejam . com todas as suas virtudes, inseguranças, carências e defeitos....como nós.
Então....só resta, nos afastarmos, se essa amizade não nós satisfizer,nós tiver sufocando...... ou tentar de alguma forma uma maneira de conviver.....sem que os conflitos,influam nesse relacionamento, que muitas vezes são importantes na nossa vida, apesar dos pesares!

A não ser que estejam nos prejudicando emocionalmente, ai então acho , que a melhor coisa a fazer é se afastar!

Abraços....Dina

Vâmvú disse...

Vou concordar com a maioria ai de cima... todos somos estranhos mesmo, se não fossemos que estranho que seria...
Mas entendo muito bem o que disse, Robson. Já me questionei muitas vezes sobre isso também... Estranho é perceber tudo isso... perceber esses "amigos" (falsos).
Há pouco tempo atrás até escrevi no meu blog sobre isso, de certa maneira, quando me sinto um verdadeiro trouxa.
Bom poder escrever sobre isso. De certa forma nos "limpamos" disso tudo...
Abração

PS: Não podia ter escolhido melhor do que nosso velho amigo Jim...

Coral disse...

Não se pode ganhar todas, mas se tenta!
Tenho dom para boas amizades, não que não me decepcione, mas acabo aparando arestas. Na vida fiz algumas valiosas e "eternas".Já no amor, parece que dou sempre os passos sozinha como disseste...não se pode ganhar todas.
Insisto.
Em Algum Lugar do Tempo.

Mary West disse...

Sempre digo que nem gosto muito de seres humanos. Bicho sem noção.

eliane disse...

Oi, Robson.
Pois voltei, depois de uma hibernação compulsória em um hospital, cuidando de minha mãe, que retirou a visícula, cheia de pedras. Coisa estranha, esse nosso corpo, né?
O Sergio, meu marido, costuma fabricar inúmeras pedras nos rins, de tempos em tempos.
E tudo isso custa muita dor, muita paciência, muito dinheiro nas cirurgias, enfim...
Mas falemos de você.
Sempre há um tempo de se fazer faxinas em relação aos que nos rodeiam.
E elas doem.
Doem porque ainda não temos a capacidade de limpar das nossas vidas, diariamente, todas as "sujeiras" que merecem ser eliminadas.
E elas vão ficando, com o nosso aval, na esperança infantil de que haverão de mostrar o lado realmente bom.
E acabam mostrando apenas o lado que são. O lado que nos machuca. O lado que não somos.
Então, chega o momento em que precisamos pegar a vassoura e varrer o pó que nos faz espirrar continuamente, sob pena de espirrarmos o nosso coração boca afora.
Faz parte do show. E ele precisa continuar.
Melhores dias virão, após a alergia passar.
Já tive diversas alergias desse tipo, e todas, após cumprirem o ritual normal de nariz congestionado, vermelho, olhos lacrimejantes, coração pequeno, preguiça mortal de continuar a caminhada, todas elas partiram. Algumas anoiteceram e não amanheceram. Outras tentaram se eternizar, até que enchi o saco e as mandei para o espaço.
Bendito saco que enche e nos ajuda a mudar o rumo da prosa.
Te quero bem.
Um grande beijo.