quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Sobre bucolismo, anões e metal...

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Em 1996 participei de um evento em Córdoba Argentina, algo como um intercâmbio com gente de toda parte (quase) do globo. Foi no período de um mês, com programações maravilhosas de integração com outras culturas, incluindo oficinas, várias, entre elas teatro e mímica a la Stoklos.
Lembro-me que numa delas eu estava falando sobre aspectos culturais do Brasil e tinha que esperar alguns bons minutos pra retomar a fala.Isso após todos os intérpretes terminarem suas traduções o que era no mínimo curioso de assistir. A programação incluía também, visitas e estadias em alguns vilarejos cordobeses. Pra quem é urbano como eu, deveriam ser de um dia apenas, talvez dois... três tudo bem! ta de bom tamanho.Mas os coordenadores do evento não pensavam assim...

Num deles chamado “Agua de Oro” lugar onde o frio da noite em plenos dias de janeiro era absurdo, provavelmente explicando a infinidade de macieiras carregadas aos quilos. O que também me fez acreditar que o lugar deveria ser um recanto de feiticeiras madrastas, do tipo que envenena maçãs entre uma compota e outra... Descobri lá que odeio compota de pêra e de maçã claro! envenenada ou não.

Nesse lugarejo nada me chamou mais atenção do que um anão metaleiro que andava agitando a noite da bucólica cidade. Sim acredite. E pra melhorar a historinha o moço se intitulava, ou foi intitulado “Fury”. Nunca vi um apelido, nome artístico, ou de guerra, sei lá... cair tão bem numa pessoa-inha.
Fury, era... digamos... alto pra um anão - pelo menos o comparando aos outros anões que já vi e além disso extremamente mal-humorado, do tipo boca suja. Usava uma roupinha preta de couro e tachas de metal nos braceletes, botas e um colete pra compor a “estilera”. Um anão metaleiro em qualquer outro lugar passaria batido, mas não ali naquela cidade. Tudo destoava naquele cenário, o "enano" desbocado deve ter sido - penso eu - esquecido por alguma Branca de Neve gótica, bêbada, drogada, prostituída, enquanto fazia uma manobra arriscada no trenó. Este óbviamente roubado do também bêbado, Santa Claus, depois de um show do Theatre of Tragedy no polo norte.
Anões são figuras curiosas. São intrinsecamente incomuns. Por exemplo:
- Nunca vi anões rodando bolsinha. Ou anão preso por assalto à mão armada. Nunca vi anão presidente. Nem anão travesti ou pedreiro que canta mulher. Nunca vi anãs grávidas, nem modelo de playboy. Nunca vi anão padre, nem freira, muito menos papa e tampouco médico. Já vi “noiva cadáver”, mas noiva anã nunca. E também nunca vi anão "dar-boa-noite-no-jornal nacional”... Seriam os anões deuses astronautas? Bem se eles o são... Fury é o capeta da vez.
-------------------------------------------
Nota importante pra não ser injusto: Esqueci do anão que foi preso em Newcastle, na Inglaterra. “contratado” pra ajudar uma gangue por sua capacidade de invadir locais por pequenas aberturas. O que revela que os anões são iguais a qualquer pessoa, inclusive as de caráter duvidoso.

26 contribuições para o avesso do Blog:

Dama de Cinzas disse...

É verdade! Não vemos mesmo anões em certas posições na sociedade... Talvez porque eles estejam em um número muito pequeno... No meu trabalho tem um anão! Ele é muito legal!

Beijocas

Robson disse...

Pois é minha querida. Tem a tal história "de que anão não morre" ainda por cima são confundidos com crianças em seus respectivos enterros, Pobre Little people.
Bjs

Nathália disse...

Quando volto da faculdade, sempre vejo uma anã fazendo caminhada.
Mais saudável que eu.

Quando eu era criança, tinha medo de anões. Não lembro exatamente porque, mas também tinha medo de palahaços.

Beeijo!

Luiz Gonzaga disse...

Olha só!!
É melhor a gente não estender o assunto ou daquí a pouco vão aparecer vagas nas universidades
em sisteme de cotas para anões.
kkk!
abç, velho!

Robson disse...

Nath: Engraçado eu raramente vejo um anão, caminhando então...Bj

Luiz: Essa das cotas foi ótima! abraço

Beto Canales disse...

Sabe que não conheço nenhum anão?
QUe coisa

Robson disse...

Beto e tambem não conheço ninguém que tenha um como melhor amigo... Realmente deve estar faltando anões na praça.

Adriano Queiroz disse...

Robson, vc está se saindo um cronista ótimo.
Tirou foto com Fury ou ele xinga quem tenta?
Fico muito feliz qdo vejo um anão trabalhando normalmente e sendo levado a sério. Acho meio chato estes programas que os ridicularizam.
Em falar a la Stoklos, vc gosta dela? Eu adoro. Vc viu "Calendário da Pedra"? (Quanta pergunta. rs)

Preciso responder mais meus comentários, né?! heheh
Acho legal os blogueiros que fazem isto.

Abraços.

Robson disse...

Adriano: Obrigado amigo! acho que estou descobrindo meu jeito pessoal de contar os causos do cotidiano.
Quanto a Stoklos ela fantástica e unica. Infelizmente tenho pouco acesso ao trabalho dela... sou provinciano hahahahahahaha!
Abraços

Robson disse...

Adriano:
O fury era uma peste de mal humor, não dava nem pra chegar perto da figura.
Quanto a responder comentários eu fazia com mais freqüencia, dai parei um tempo por preguiça e depois percebi o quanto ficava feliz quando os blogueiros respondiam aos meus comentários,então resolvi voltar, acho super atencioso quem o faz.

O Digitador! disse...

Sim sim... eles estao em numero mto reduzido... eu poderia fazer uma lista imensa de coisas q nunca vi anao fazendo... como por exemplo jogando bola, surfando... sei lah uma porrada de coisas... normalmente eu encontro alguns andando pela rua... inclusive aquela anã bem conhecida que tem uma loja de miniatura e q jah apareceu varias vezes na TV, jah a vi varias vezes na Av. Paulista....mas eles sao realmente iguais a qualquer um...

Adriano Queiroz disse...

Robson, ela tem suas obras publicadas. Ela é demais!
Claro que não é a mesma coisa ver o espetáculo e ler o texto da peça, mas dá uma idéia da magnitude.
Respondi meus comentários. hehehe

Abraços.

Mary West disse...

Hahahah é meio feio dizer que lembrei de uma comunidade no qual estou que é assim: Confundo anão com crianças?

Robson disse...

O digitador: Verdade a lista é gigantesca... e essa que vc citou eu já vi na tv, faz trabalhos muito bons e tem uma irmã tb né?

Mary: O pior é confundir criança com anão.Criança vestida de adulto é sinistro.
Adriano: hahahaha seus leitores vão adorar, já li minha respostinha hehehehe

eliane disse...

Quando casei, construimos uma casa em um dos bairros da cidade, e nele haviam diversos anões.
Todos saudáveis, bem humorados, simpáticos.
Mas eu sempre me senti levemente indisposta diante deles, sem saber exatamente onde colocar as mãos, com um medo insano de tratá-los como criança, enfim...
Agora fiquei pensando com meus botões: nunca vi um anão de bigode. Vocês já viram?
Deve ser tão esquisito quanto o Fury, vestido de metaleiro.
Vou parando por aqui, que esse comentário tá me deixando levemente indisposta.
beijos.

Robson disse...

hahahahahahahaha Eliane vc agora me fez rir muito! de fato nunca vi um anão de bigode e nem de barba pra falar a verdade!
hahahahahahaha
Bjão querida!

Cara de 30 disse...

AH... NÃO!

Tá bom, vou ficar de castigo sem comentar aqui por uma semana depois dessa... :)

Michele Moura disse...

huieahuieahuieahuieahuieahuiea

[ passados 5 minutos ]

Não que isso seja de qualquer relevância, mas eu tenho uma amiga que já viu uma anã noiva e uma anã grávida. Se bem que só vale por uma, pois era a mesma anã (cunhada da minha amiga) vista com 15 meses de diferença entre um "avistamento" e outro (churrascos em famíla, o que mais se faz no sul).

Quando eu estava no pré-escolar, eu tinha um colega que tinha um tio anão. Um dia, não lembro por que cargas d´água, esse tio foi levá-lo ao colégio e, claro, a molecadinha de 5 ou 6 anos de idade ficou enlouquecida ao redor do cidadão de baixa estatura. Nos disse ele que "pessoas pequenas nascem embaixo de cogumelos".

Do alto dos meus 6 anos de idade, eu encarei isso como algo do tipo: "todo anão é gnomo" então!?

--//--

Teus textos têm feito com que eu mergulhe fundo nas minhas memórias... :D~

bjo bjo

.Dazinha. disse...

hahahaha, Tenho uma amiga que está naquela fase " sou rebelde" , e ela simplesmente ODEIA anões, tem nojo, sabe-se-la-porque, e o namorado dela tem uma bandinha de nw metal em são paulo, e ela disse que em um dos shows tinha um anão dando showzinho lá, hahaha.

Eu gosto daquele programa do casalzinho de anões, que tiveram gêmeos, 1 é normal o outro é anão, e tem mais 1 menina normal, passa no canal Home & Health! haha.

Beijocas!!!!!! :*

afobório disse...

pois os anões são normais mesmo.


agora, pensando bem, nada pode superar que a imagem que vi esses dias andando pela rua, ia eu andando quando olho para a frente e vejo aquele anão andando em minha frente e usando uma camiseta com a seguinte frase:

Power Corpus - Academia


ahahahaha, achei engraçadp, mas tudo bem, os anões merecem um espacinho também.


sorte e luz, uam bela crônica.

Robson disse...

Beto de 30: hehehehhee vira pra parede ajoelhado no milho que tá de bom tamanho? bom tamanho? anão?
deixa pra lá!

Mich: Um Tio anão? que super isso!
ia ser meu tio preferido.

Dazinha: tenho um amigo que tem fobia de anões , pânico mesmo. sai até correndo se vir um.

Afobório: Power Corpus - Academia
de fato merecia uma foto hahahahaha!
Abrao a todos!

T disse...

faz tempo que não passo aqui.
Sobre os anões, concordo com a "Dama das Cinzas".
gostei de voltar :)

Conde Vlad Drakuléa disse...

Flap!Flap!Flap! Pousei...

Eu já tive vários amigos anões, e ainda conheço alguns, na verdade o que pude observar é que eles são gigantes em espírito, não desistem nunca, e são muito tenazes e objetivos... E dão exemplo para muitos, são "grandes pessoas" em minha modesta opinião...

Um enorme abraço e excelente Fim de semana Robson...

Voei, Flap!Flap!Flap!

Jana disse...

Na verdade, um anão metaleiro e mal humorado chamaria a atenção até na Cidade do México.
Hahahaha.

E enterro de anão, tu já viu?
Pois é, nem eu.

Abraço Robson!
:)

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Descobri seu blog, e me deparei com uma postagem fabulosa. parabéns.

Coral disse...

No Natal tem mais anões na cidade...deve ser a oferta de emprego. Eu usava isso para dar mais "verdade" a história de Papai Noel, dizia: -Olhem, os anões estão por toda parte! Precisam fazer as compras e pegar as cartas para o Papai Noel!
E as crianças ficavam maravilhadas, tudo muito lógico e racional.

Em Algum Lugar do Tempo.