terça-feira, 18 de novembro de 2008

“Separando alhos de Bugalhos e algumas citações"

terça-feira, 18 de novembro de 2008



Hoje amanheceu cinza e chovendo, fora e dentro de mim. O cinza de hoje não é o mesmo que falei pro homeopata textos atrás... Meu cinza mudou e eu não havia percebido.
Os ciclos que se fecham e iniciam são cada vez mais repletos de verosimilhanças e acho bom...
A verdade é uma dádiva das mais preciosas, mas nem por isso se torna fácil de ser ouvida, falada ou sentida...às vezes ela dói como um punhal entranhado nas vísceras.

As minhas são assim, se mostram nuas e cruas. Mas é assim que prefiro vê-las, cada vez mais despidas, cada vez mais cruas , olho no olho.
Observo mudanças visíveis e importantes. Não sei se por ser cantor e buscar na interpretação a forma de apresentar minha arte; posso sair de uma música densa e melancólica pra uma canção leve e às vezes pueril – como as boas cantigas de criança – saindo da tristeza pra me tornar um serelepe e alegre Pedrinho de Monteiro Lobato.E enquanto isso - aqui dentro de mim - não estar em sintonia com nenhuma daquelas verdades que os personagens interpretados apresentam naquele momento.
Isso me tornou mais centrado, concentrado e responsável com meus compromissos do “ser”, o que também acho muito bom.
Quero viver um dia de cada vez, ser fiel a mim mesmo e ao que sou.

"E oferecer apenas o trajeto que posso cumprir".

"Quando somos honestos e nos amamos na primeira pessoa, as outras, automáticamente são beneficiadas".
Percebo com muita clareza que mudanças produtivas acontecem a partir de quem somos de verdade... ainda que tenhamos apenas um pequeno vislumbre pra começar.
"E isso me faz bem... Como uma brisa boa soprando atráves de uma cortina".
Termino deixando que a canção do Gil traduza mais e mais o que tenho ainda pra dizer...
ou temos todos... quem sabe?

Sabe, gente.
É tanta coisa pra gente saber.
O que cantar, como andar, aonde ir.
O que dizer, o que calar, a quem querer.
Sabe, gente.
É tanta coisa que eu fico sem jeito.
Sou eu sozinho e esse nó no peito.
Já desfeito em lágrimas que eu luto pra esconder.

Sabe, gente.
Eu sei que no fundo o problema é só da gente.
E só do coração dizer não, quando a mente.
Tenta nos levar pra casa do sofrer.
E quando escutar um samba-canção.
Assim como: "Eu preciso aprender a ser só".
Reagir e ouvir o coração responder:
“Eu preciso aprender a só ser."
---------------
Imagem: Internet
Musica: "Eu preciso aprender a só ser" - Gilberto Gil

29 contribuições para o avesso do Blog:

.Dazinha. disse...

Esses dias cinzas, brutos, sem resquícios de um canto de sorriso ou uma cor vibrante para borrar o olhar, são os que nos fazem saltar dos 20 para os 30, mesmo que por aquele momento.
As vezes é necessário enxergar tudo preto-no-branco e conseguir realmente definir as formas que estão alí, intactas, do outro lado do espelho.

:)

Besos

Dama de Cinzas disse...

A tristeza de alguma forma enriquece a arte! Não se sabe muito bem o porquê...

Beijocas

Beto Canales disse...

pois é...

Cami disse...

São esses dias cinzas, nus e crus, que nos jogam na cara todas as verdades sobre nós.
São coisas que ninguém mais poderá fazer por nós, a não ser nós mesmos!

E que seria de uma dia sereno de sol, sem antes ter tido uma noite de tempestade??

Beijão Robson!
Bom ter lembrado essas coisas nesse teu texto.

acqua disse...

Adoro os dias cinzas, eles nos remete a nós mesmos e nos permitem espiar nossas frestas por ângulos diferentes. Gosto disso... Abraços meus

Adriano Queiroz disse...

Verdades não são facéis mesmo.
Eu te imaginei em silêncio agora.
Quando penso em cantores + cor cinza, imagino-os em silêncio. Observando o mundo mostra-se. Ou um blues quase cochichado.

São tantas coisas mesmo, tantas, que contemplar é praticamente um desacato.

Abraços.

Cara de 30 disse...

Robson, todos nós precisamos aprender isso, não?! Mas isso é complicado demais... Toda hora nos vemos presos a pensamentos e ações que nos distanciam desse aprendizado.

E o cinza dá o tom do dia... Tanto lá fora, quanto aqui dentro.

eliane disse...

São momentos que batem o ponto na vida da gente, como funcionários fantasmas, que aparecem de vez em quanto, para receber.
Mas também são bem vindos, porque quando se vão, deixam as cores mais brilhantes, as pequenas alegrias muito grandes, a vida mais equilibrada.
Porque, bom ou não, ainda somos tão pequenos diante da grandeza do universo, que precisamos do frio para reconhecer o calor, do pequeno para saber o que é grande e, claro, da tristeza para valorizar tudo de bom que temos.
Faz como eu, Robson: dê a esses momentos o valor que eles merecem, na ordem do dia, e toque em frente, que atrás vem gente.
grande beijo

Tiago M. disse...

Nossa essa musica do gil eu não conhecia, é muito foda...

Vc flw bem o que eu estou passando, ser agente, amar agente, ser confiante em nos....

mas o artista consegui senti um pouco de tudo, queria ser artista...rs...mas nunca consegui... um ator senti e espressa muito mais nem sempre vive aquele momento...assim como o cantor, o pintor.....

abraazzz

o casalqseama* disse...

os dias cinzas nos fazem ver as cores que existem dentro de nós, dos nossos pensamentos, que, muitas vezes são um caleidoscópio... penso que a nossa verdade aliada ao bem faz com sejamos pessoas que contribuem positivamente... contudo, a primeira contribuição tem que ser interna, caso contrário, nada com os outros será colorido!

bj grande da fê =D

O amor e etc. disse...

Eu queria ser artista, eles parecem ter uma visão sempre mais bela ou divertida da vida. Para mim artista de verdade é aquele que olhamos e falamos em um primeiro momento que a pessoa não é normal. hehehe.
Confesso ser mais criativo quando estou triste do que quando estou feliz. Ás vezes é necessário que o artista se refugie nas cinzas, não?

Robson disse...

Dazinha: Sim, as cores as vezes ficam borradas... achar os traços certos requer cuidado.

Dama: Concordo contigo sim, grandes manifestações artisticas nascem com dores de parto...

Beto: pois é...

Cami: verdade sim nada como partir da gente, acho que ai ja ganhamos um terrenão...

Acqua: (adoro esse nome) sim, as vezes as frestas revelam mais do que portas abertas...

Adriano: foi no tom e no estilo certo..." Meu pobre Blues e nada mais..."

Beto de 30+2 : Issai amigo, vc foi meu espelho nesse comentário.

Eliane: Minha adorável Eliane... exatamente isso "na ordem do dia".

Tiago: Pois é Tiago o Gil é um gênio! hehehehe
Quem disse que vc não é artista? dá tempo de descobrir...sempre dá.
Obrigado pela visita! volte sempre.

Casal: "contudo, a primeira contribuição tem que ser interna, caso contrário, nada com os outros será colorido!"
Isso foi perfeito! abração

Amor e cia: No final todos somos artistas se avaliarmos a missão de colorir a vida com cores diversas, mesmo que pareçam abstratas, ainda assim e arte.
Quanto as cinzas?...voce tem razão.
Abraço e valeu a visita, volte sempre

Nathália disse...

O difícil é 'só ser'.

Beeijo!

Beatriz disse...

As verdades devem acontecer primeiro dentro de nós, para só então sair pelo mundo apregoando suas certezas. Dias cinzentos nos mostram, muitas vezes, com maior precisão, aquilo que ainda não sabemos sobre nós e que, de repente, num clarão, passamos a perceber.

Te deixo um raio de luar brincando nos teus sonhos e um beijo no coração.

Robson disse...

Nath, essa é a parte difícil mesmo... mas vamo lá né?!
Bj

Beatriz: Os clarões as vezes são ofuscantes né?!
bj minha querida

Jana disse...

“Eu preciso aprender a só ser."
Esse é o segredo da vida.

Agora, os dias cinzas também são importantes.
Tanto quanto (ou até mais) que os coloridos.
São nestes dias que a gente consegue se enxergar melhor.
Bem, eu acho.

Grande abraço Robson!
Valeu pelos teus comentários, sempre carinhosos.

Beto Canales disse...

É incrível, mas acho que às vezes um singelo pois é, ou ai ai ai ou ainda báh, dizem tudo.

Robson disse...

Jana: Eis a aí a grande tarefa! só ser...

Beto: Pois é... concordo contigo
hahahahahahahahahaha!

Mary West disse...

Por mim eu viveria no tempo nublado. Sei lá, a melancolia cai bem a inspiração.

Robson disse...

Mary West: Sou suspeito pra falar, alías como sou... o Cinza é tudo de bom, mesmo quando na nuance cinza-escuro.
Bj

Dama de Cinzas disse...

Pois é... como me sinto com essas cantadas, um pedaço de carne suculenta... ahaha

Beijocas

nina disse...

Dias cinzas... tenho muitos. Mas acho que todos sao um aprendizado. É preciso mesmo aprender a só ser.
Você é cantor mesmo? Eu não sabia. estudei música dos quatro aos catorze anos. Hoje em dia só aprecio.

Robson disse...

Ei Nina
E um aprendizado constante...

Quanto a ser cantor, sou sim, faço parte de um grupo chamado Corda Vocal, a gente inclusive está se preparando pra estudio, logo teremos boas novidades.
Abração

[Farelos e Sílabas] disse...

...


Hoje amanheceu.
Hoje entardeceu.
Hoje anoiteceu.

Veja quantos hojes aconteceram!

Havia cinza e chuva.
Havia chuva, tudo cinza.
Havia tudo, até chuva e cinza.

E foi apenas hoje, nada mais...

O dia mudou.
A casa cresceu.
Tudo se alargou dentro e fora.

É tanta coisa BOA que a gente aprende...!


Abraço sempre-sendo em dias de SOL, a par das nuvens e dos cinzas,

SOL!


...

Robson disse...

Ricardo: Os dias cinzas pra mim funcionam com um dia ensolarado pra quem gosta deles... Eu também gosto, mas os bem estares são diferentes.A desvantagem dos ensolarados é que trazem "sombras" com eles...
Grande abraço amigo

CARLA ROCHA disse...

"Já dizia o poeta: É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração
Mas pra fazer um samba um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
Senão não se faz um samba, não
Senão é como amar uma mulher só linda; e daí?(...)
Fazer samba não é contar piada
Quem faz samba assim não é de nada
O bom samba é uma forma de oração
Porque o samba é a tristeza que balança
E a tristeza tem sempre uma esperança
De um dia não ser mais triste não..."

Meu querido amigo, seu texto me fez lembrar dessa música! E você já tem a música na alma. Tenho certeza que o cinza, em todos os seus tons, também faz parte de se talento! "E A TRISTEZA TEM SEMPRE UMA ESPERANÇA DE UM DIA NÃO SER MAIS TRISTE NÃO..."
Beijo grande, abraço ainda maior

Robson disse...

Carlinha: Não é a toa que é o samba da benção! salve poetinha!
Sim você está certa, não abro mão de nenhum tom de cinza ou qualquer outra cor... todas compoem meu avesso.
Bjo

felipe lima disse...

creio que essa 'nudez' é a verdadeira dimensão do que é 'divino'.
dias cinzas, chuvas... tudo isso me parece muito mais real que o calor de muita coisa.

Robson disse...

Felipe: Uau! essa do "calor de muita coisa" foi na mosca meu querido e sábio Felipe!
Abraço