sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Escolhas

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009



Não vou ficar aqui falando de meus sumiços do blog. Sumo e apareço, simples assim! já falei tanto aqui de desobrigações e necessidade de explicar tudo, mas... se bobear cá estou me explicando e definitivamente não rola mais...

Bem, vamos pro assunto do post!?

Tenho visto muitos relacionamentos afetivos desabando ao meu redor, e
outros com rachaduras consideráveis... Também tenho ouvido de "muitos e muitas" a frase:
-"Se me separar não me caso mais..."
alguns quase registrando em cartório o discurso pra que fique beeem registrado.
Preciso confessar aqui que se rolasse comigo um divórcio com certeza engrossaria essa fileira do "casado nunca mais"...
Casamento nunca foi e nunca será algo fácil e creio que gastam-se muitas fichas e sonhos no primeiro pra aventurar um segundo, terceiro... (brrr...)

Penso que quem descasa, precisa descobrir outras coisas em si mesmo
e ao redor antes de correr pro primeiro altar que pintar pela frente. É muito fácil iludir-se achando "que-agora-vai-ser-tudo-diferente...".Pessoas incompletas em si mesmas costumam pensar que a solução do vazio da alma é algum (a) pobre coitado(a) .Tsc, tsc... amarga e insaciável ilusão.

Agora?! e pra quem resolve ficar junto e ver qual é?! penso que uma solução viável, especialmente se a crise baixar... Deixe a pessoa livre!! urgente!! sim, pois um dos fardos mais difíceis que se pode carregar é: Ser a escolha errada da vida de alguém. Ninguém merece!

Quando se deixa o outro livre pra refletir escolhas pessoais - entre elas, você - se houver retorno ao menos zeram esse capitulo e dai podem reinscrever uma história mais leve, com menos essa miserável cobrança. Em minha opinião a pior delas... pois flui calada.
Talvez seja um bom tema pra uma campanha "Liberte-se e deixe livre!
recuse-se ser a escolha errada de alguém!!"


Abraços a todos!!!

A propósito... vou muitissimo bem!


* 15/02/2010 - Perdoem-me... só hoje fui revisar esse texto... meu Deus quanto assassinato
da lengua mater. Acho que agora tá corrigido hehehehe eu acho...

8 contribuições para o avesso do Blog:

Francisco disse...

Amigo geminiano! rsrs

Fico feliz em te visitar novamente.
Entendi perfeitamente o seu post, e concordo 100% com ele.
Desejo a vc um Feliz Natal e um 2010 com paz, saude, amor, alegria e sucesso. Tudo o que nós geminianos, não abrimos mão! rs
Aquele abraço!

Marcos Campos disse...

Boa a receita...para se vier a dois, a liberdade é imprescindivel...
Bom Natal pra vc!!
Abraço!!

Andréa disse...

minino!!!!
que saudades de vc!!!
daí venho xeretar aqui no blog e ... tchan!!! tomo um tapão no meio da fuça...
é... a liberdade é realmente a motriz de todo o relacionamento.
afinal, viver preso a alguém que te considera a última opção, mas não larga mão por razões sociais é péssimo.
Beijão,
Déa

Dama de Cinzas disse...

É verdade! Eu sou uma dessas pessoas que disse que quando me separasse não ia querer casar de novo... Aliás falava isso pro meu ex... e ele dizia a mesma coisa, mas assim que se separou de mim casou com outra... ahahahah... Eu fiquei um tempo sem querer conhecer outros homens, agora é que estou percebendo que minha vontade de conhecer alguém está voltando, mas casar mesmo... ainda não tenho vontade... eheh

Beijocas

Marcos Campos disse...

Olá Robson!
Um ótimo 2010 pra vc!
Cheio de inspiração e paz!
Abraço!!

CARLA ROCHA disse...

Super Robson! ESCOLHAS...difícil, hein?

Que em 2010 possamos todos sermos felizes com as nossas... Beijo grande! Ah, e não consigo desvendar o mistério do não acesso seu ao blog... De qualquer forma,obrigada sempre e aquele abraço!

Marcelo disse...

Robson, eu não consigo me enquadrar no conceito de "viver a dois" "felizes para sempre"..."vai casar quando?"... Acredito que já vinha me preparando para não estar nesta 'opção' imposta. Ter que formalizar tudo para dizer aos outros que "está feliz", agora tem uma "família" é patético para a maioria, hoje em dia. Também concordo que não vale estar com alguém como única opção, tem que estar com alguém para ser a companhia que vai lhe completar mesmo, e não ao que os outros querem que "complete".

Quantos de nós temos exemplos de casamentos desfeitos, pais lutando (no sentido de briga judicial) para não ter que arcar com a guarda dos filhos (para muitos isto é uma prisão)... e tantos outros casos? Se percebeu que não estava no caminho certo, porque quis insistir neste "erro"? Para agradar aos outros, claro... Mas sempre digo: cada um é cada um...por mais óbvia e redundante que pareça esta colocação....rss

Um abraço e que bom ver uma nova postagem por aqui!

Bom ano para ti!

Daniel Savio disse...

Cara, é claro que a pessoa que casa acaba apostando fichas demais, mas isto não deveria cegar a pessoa para os detalhes que possam ser melhorados (bem como não esquecer que a conversa entre os dois deve ser estabelicida e mantida)...

Já quando a pessoa tenta mais uma vez mais, não seria o caso da pessoa tentar realment fazer dar certo: sem ansiedade, ver o que realmente pode dar certo antes de tomar a decisão no altar?

Fique com Deus, menino Robson Schneider.
Um abraço.