sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Efusões, livrarias e outras coisas juntas...

sexta-feira, 24 de outubro de 2008


Sou detalhista, exagerado, muito falante, bem humorado na mesma proporção que o inverso dessa lista... acho que rigorosamente na mesma proporção. Exagero!
Sou ótimo ouvinte desde que você me deixe falar alguma hora... Amo falar, por isso tenho dificuldades com terapia, somente porque odeio quando o tempo acaba, e depois me sinto ridículo de pagar uma pessoa pra me ouvir tagarelar, ao mesmo tempo que amo fazê-lo e acho essencial quando se precisa.
Mas não sou prolixo nem falastrão, por outro lado estou longe de ser lacônico... na verdade sou uma enxurrada de informações, penso mais rápido do que falo... mas isso melhorou, e como melhorou!

Uma outra característica: sou tímido, do tipo que chega nas festas escolhe a primeira pessoa conhecida que vê pela frente, senta e conversa com ela, as vezes dou o azar de pegar o plantão da mais chata, lógico que sempre me arrependo, mas preciso disso porque só assim consigo me ambientar pra depois cumprimentar as outras pessoas... Não me pergunte como enfrento uma platéia com a maior naturalidade do mundo.

Outra coisa, penso que bibliotecas e livrarias são lugares sagrados onde o silêncio se auto-impõe, deixei de freqüentar uma livraria por que os vendedores cometiam o sacrílego ato de falar berrando, além de fazer brincadeiras babacas uns com os outros, imagino que o último emprego deles deveria ter sido numa feira livre. Também já fui encontrado por uma pessoa efusivíssissima numa livraria, se ainda fosse na anterior, apresentava pros vendedores e saia correndo, mas nessa quase dava pra meditar de tão silenciosa, o que piorou a situação.

Tenho dificuldades com gente efusiva, não sei o que fazer perto delas, acabo virando o "animalzinho nas mãos da Felicia", dai elas podem fazer o que bem quiserem pois perco a ação.
Falando nisso, estava eu andando pela cidade, quando vejo a muitos metros de distância uma dessas efusões ambulantes, vindo em minha direção com um sorriso orelha a orelha, e já conversando comigo de lá...
Entrei em pânico pois não me lembrava nem de longe - literalmente - quem era a tal senhora... Quando chegou perto me abraçou, beijou, e falou, falou e falou !! me perguntava sobre a família citando nomes e eu em estado hipnótico pensava...
- Lembra, lembra, lembra!!...quem é essa dona Jesus?!!
Não precisei lembrar, ela dali mesmo me abraçou e beijou novamente, desejou felicidades e "lembranças" a todos e foi embora feliz da vida... simples assim.
Quanto a mim?!
Fiquei o resto da tarde, me torturando pra lembrar quem era a desconhecida festeira que sabia até meu nome.

29 contribuições para o avesso do Blog:

Dama de Cinzas disse...

Vc enfrenta a platéia, porque geralmente enfrentamos platéia através de um personagem...

Gente efusiva eu gosto, o que me dá embrulhos é gente mal humorada... rs

Beijocas

Robson disse...

Não sei minha querida, acho que cantores não tem tanto esse artifício do personagen não, apesar de que os interpretes (quando são)tem uma interação com o que estão cantando e nesse contexto o personagem faz sentido, mas no geral a parada é "face to face" mesmo.
Bjs

Beto Canales disse...

Ontem à noite fui a um show (tom na estrada) de dois gaúchos interpretando cla´ssicos da mpb, muito bom. O cara (cantor) tbm falava muito, e com procedência. Tbm era bom. Deve ser pré-requisito.

Toon disse...

'enxurrada de informações', 'penso mais rápido do que falo'..

sei bem como é isso!
muito bom o texto

abraço

Robson disse...

hahaha Obrigado Beto! se bem que em shows procuro seguir um roteiro preestabelecido, claro que furo ele direto...
-------------------------
Toon : Esse jeito metralhadora de ser, as vezes é um problema... Se vc é asim sabe como funciona.
Abraço a todos

Robson disse...

Minha querida ama amiga Dama, esqueci de comentar...
"Gente mal humorada acho mais fácil, pois eu ignoro, gente efusiva quer te pegar e não te ignora"... hahahahaha!

Cara de 30 disse...

Essa senhora não era a Dona Geninha???? Hmmm.... Deixa pra lá... (gargalhadas!)

Abraço e bom final de semana!

Gaby Soncini disse...

Gostei bastante do texto e fiquei bastante curiosa quando você falou platéia,me perguntei será que ele é músico,ator ou palestrante??? rsrsrs.

Fiz teatro por um ano e confesso que conseguia fazer nos palcos coisas que não conseguia fazer por mim mesma na frente de pessoas do meu dia-a-dia,em festas etc.

Muito bom o texto gostei demais.

Tenho um outro blog também:http://gabrielasoncini.blogspot.com/

Grande beijo pra você.

Bella disse...

Ah, eu sempre fui escolhida pra apresentar os seminários da escola, eu já ganhei altos concursos de leitura e interpretação, eu canto, eu fui oradora da minha formatura da alfabetização, eu falo pra caraaaaaaaaaaaaaaca. Mas o que pouca gente sabe é como fico tímida num lugar estranho. E como eu tremo de chegar perto de microfone...rsrs

Michelle Dangeli disse...

As pessoas costumam dizer que sou boa ouvinte, mas quando eu preciso falar...saí de baixo!! Preciso tomas cuidado pra não sair atropelando tudo e deixar meu interlocutor assustado, hehehe.

Ah! antes que eu me esqueça...
Como vc consegue enfrentar uma platéia???

Michelle Dangeli disse...

Vou seguir seu conselho. Tava precisando de um sacode mesmo. Preciso me mexer, e superar o trauma de perder todos os meus documentos, huhuhu. Muito Obrigada, foi de grande valia meeeeesmo sua cobrança! Bjão, Robson.

Robson disse...

Michelle
Quanto a enfrentar público acho que mistura, concentração, adrenalina e uso o "medo" como aliado... Como sou interprete, acabo - ai entra possivelmente o personagem - vivendo a verdade daquela letra como se a tivesse falando para as pessoas entende? Mas ai tem algumas técnicas extras, que se usam e funcionam bem.
mas engraçado, prefiro enfrentar um teatro cheio do que um grupinho pequeno... vá entender.
Cobrança? voi como funcionou? hahahaha beijo querida!

Késia Maximiano disse...

e o melhor de tudo é a gente ser a gente!

=)

Adriano Queiroz disse...

Robson, tb falo pra p*rr*. Adoro dar opinião, se eu não falar eu morro de paralisia "lingual".
Penso diferente de ti em uma coisa, para mim, bibliotecas não devem ser lugares silenciosos, apesar de eu tb adorar ficar no momento "dalai lama" entre os livros, porém este clima sacro que se impõe nas bibliotecas, afastam outros públicos que não tem nosso perfil, e é a maioria.
As bibliotecas de Santiago do Chile, Medellin e Bogotá na Colômbia, são um sucesso, provavelmente serão copiadas em várias partes do mundo e são o oposto do modelo das que temos aqui.
Ano que vem o governo estadual de São Paulo prometeu uma bem parecida aqui em Sampa, conforme foi dito em um congresso que eu fui.
O mais correto deveria instalar-se ambientes nestes espaços, para que atendessem todos gostos possíveis.
Ufa! Falei demais, mas eu gosto mesmo né?! Aliás, creio que quem comenta muitos blogs, como temos vários exemplos aqui, tem um "q" de tagarela. Nós somos deste grupo.

Abraços.

Adriano Queiroz disse...

A referência a Felicia foi ótima.

hahahahahaha

Michele Moura disse...

Eu uso o recurso de procurar alguém conhecido em festas ou onde quer que vá. Caso contrário me sentiria completamente deslocada.

Se bem que, precavida, eu nunca saio desacompanhada! Eu [como farofeiro quando vai à praia] sempre levo "de casa", companhia no mei caso, para não correr o risco de ficar sem... XD

Mas tenho meus momentos de efusividade! Ou para colocar o papo em dia com pessoas queridas ou simplesmente para burlar o nervosísmo em situações desconfortáveis. Ótimo recurso para dissimular a timidez...

bjos querido

NIH SILVA disse...

belo blog! adoro!
bj

Hugo de Oliveira disse...

A platéia é algo dificil de enfrentar mesmo...lembro-me bem, dos meus primeiros momentos diante de uma...aff! Mas, com o passar do tempo fui evoluindo...a minha tarefa como Educador, ajudou e muito durante a evolução.

Gostei muito do seu blog...viu.

Te linkei lá...passa por lá e confira meus escritos.

abraços

Gaby Soncini disse...

Vi o link que me mandou sobre seu trabalho com música e deixei um comentário lá.

Grande beijo.

Jana disse...

Rarararara.
Isso já me aconteceu.
Aliás, vive me acontecendo.
Já estou virando perita em dissimular minha falta de memória.
Mas sobre ser efusiva, não sei... Acho que sou um pouco.
Mas só um pouco!!!
Rerere.

Abração Robson.

Conde Vlad Drakuléa disse...

Curiosamente, existem momentos em que me torno o camarada mais efusivo da Terra e em outros o mais reservado! Será que eu tenho dupla personalidade??? Sou o Vam e o Piro ao mesmo tempo? Nas festas eu sempre levo a Kendra, minha andróide positrônica imaginária, qualquer coisa eu me viro com ela, se bem que tem gente que acha que eu sou meio doido, mas faz parte... A photo do post ficou excelente, muito engraçada! Agora tu quando sai ou para caminhar ou passear encontra cada bicho estranho, primeiro foi aquele ex-colega assustador de escola e agora essa desconhecida não menos assustadora, meu caro deves contratar uma guarda-costas exorcista o mais rápido possível!!!
Grande abraço, obrigado pelo excelente post como sempre!!!!
:D

CARLA ROCHA disse...

Bom mesmo é ganhar abraços, beijos e bons votos! Só isso já valeu o dia! Detalhe: deve ser alguém que realmente gosta de você e dos seus!Beijão!

Flávia disse...

Tenho um problema sério com multidões, festas, platéias e afins. Sou de uma timidez dilacerante, embora não pareça. Dilacerante. Chego a ser esquiva. Se um dia me vir em uma festa, desconfie: ou estou pagando promessa, ou é um caso de vida ou morte.

Beijos :)

P.S.: pra qual e-mail mando o texto?

Gabriele Fidalgo disse...

Essa 'senhora efusiva' me lembrou de uma comunidade do orkut: 'síndrome de conhecidos'. hehe

Olha, eu sei bem também como é essa coisa de 'enxurrada de informações'. Mas entendo ainda melhor sobre ser exagerado. rs

Beijos!

NIH SILVA disse...

poxa obrigada
q gentil você!
vc está certíssimo
espantei os machos
homens são bem-vindos
aliás são caçados!

beijo!

Rafael Costa disse...

Vc ja trocou de rua para nao falar com determinadas pessoas?
Eu ja!
Eu como vc so ouço se depois eu puder falar horas e horas.
Somos introvertidos, mas isso é bom, senão não seriamos o que somos.

Abraços

rafa

ps.: vou ler o resto!

Rafael Costa disse...

posso te garantir de cara, que previsibilidade você não vai encontrar

adorei isso

Robson disse...

Vc ja trocou de rua para nao falar com determinadas pessoas?
Nossa rafael! que pergunta difícil hehehe

Pessoal obrigado pelos interessantissimos comentários!
Abraço a todos

felipe lima disse...

Eu tenho muita dificuldade com pessoas. Um pouco é fruto da minha timidez, outro tanto por medo mesmo. A verdade é que preciso sentir muita afinidade para que possa relacionar-me com alguém e não interpretar um personagem.