sexta-feira, 5 de março de 2010

Ser ou não ser...

sexta-feira, 5 de março de 2010

Obviamente é fundamental a “liberdade do ser”. Nada mais exaustivo do que alguém tentar ser aquilo que não é seja lá qual for o motivo imposto de forma direta ou indireta. Através de cobranças externas ou internas,sei lá...

Tenho pensando muito ultimamente em outro aspecto: Na forma de ser, de agir e de expressar quem se é de fato. Não estou me referindo aqui a questões sexuais no sentido de escolhas, preferências etc.,

Inclusive a foto do Serginho do BBB 10 e o título do post nada têm a haver com o óbvio sugerido.

A questão é “sou como sou... e sou feliz assim” independente dos cronogramas oferecidos (algumas vezes impostos) pelos diversos segmentos sociais e religiosos que compõe esse mundinho de meu Deus.

Serginho é gay, mas mesmo entre gays também existem diferenças e preconceito. Tem figuras que passam batidas sem dar a menor pinta. Algumas por que de fato não dão, outras por causa do preconceito delas mesmas ou de outros. Mas o que interessa aqui é o quão bem resolvido consigo mesmo o indivíduo é sem importar de fato com a expectativa alheia sobre ele.

Conheço e admiro pessoas gordas que estão se lixando pra ultima ditadura dos Fashion weeks da vida. E vestem aquilo que gostam e se sentem bem, a despeito dos narizes tortos que as rodeiam. Outro dia estava no ônibus quando parou do meu lado uma moça feliz, sim acredito que ela é feliz e vai chegar aos 100 anos. Cheguei a comentar com minha colega:

- Essa é feliz! Admiro viu...?!

Bem, a moça era do tipo bem rechonchudo (adiposamente falando). Peitão espalhado bem à vontade dentro de uma mini blusa,usava ainda uma calça dessas de cintura baixa, ah sim! Branca. Havia ainda o detalhe que fez toda a diferença, indicando pra mim que ela era Feliz... Um piercing no umbigo que saltava junto com uma barriga muito saliente. Tão saliente quanto sua dona, que jogava charme pra todos sem o menor constrangimento.

Incrível mas figuras assim em outra época, eram taxadas por mim de “gente sem noção”.hoje meu conceito mudou... As considero felizes. Sim, considero feliz qualquer pessoa que é como é se assume assim. Tenho um amigo muito especial, uma das pessoas que mais admiro na vida. A maioria das pessoas quando o conhece ou simplesmente o vê em algum lugar pensa na hora. Esse cara é gay. Pois ele é um cara sensível e bastante feminino, o que é diferente de “mulherzinha”, aliás, completamente diferente. A forma de se vestir, até mesmo a maneira como cruza as pernas, enfim...

Mas eu digo pra ele sempre:

- Cara! Acho que não existe no mundo um cara que goste mais de mulher do que você

Ta louco!?

Hoje ele é casado com uma mulher maravilhosa e são totalmente compatíveis em todos os aspectos. Um casal lindo. Mas antigamente?! Ele era um dos maiores pegadores soltos por ai... Porque segundo a lenda, homem não pode ser “sensível”, isso aos olhos machistas, lógico... Mas o curioso é que a maioria das mulheres ama caras assim. E alguns (muitos) homens também. Sabe, eu cheguei à conclusão de que a maioria das pessoas é atraída pela verdade que cada um expressa sendo ele mesmo. Bom senso quanto a limites, medidas, espaço alheio respeitado, devem ser inerentes a qualquer tipode pessoa, isso é um fato.

O Serginho mesmo, enquanto visitava a fábrica da Honda, estava super econômico no quesito purpurina, mas nem assim deixou de ser ele mesmo bancando o “homenzinho”, aliás, estava mais pra Lady Di visitando projetos sociais.

É isso...

12 contribuições para o avesso do Blog:

Daniel Savio disse...

no final das contas, tudo se resume a forma de se portar...

Fique com Deus, menino Robson Schneider.
Um abraço.

Dama de Cinzas disse...

Sei lá... rs

Eu por sempre sido diferente em tantos sentidos, não vi felicidade em me assumir nas diferenças, ou assumir algo que era feio pra maioria... Mas certamente me senti mais coerente comigo mesma...

Não sei se estar fora dos padrões e assumir isso traz alguma felicidade, mas traz a tranquilidade de não ter que representar o tempo todo... rs

Fora isso eu não queria ser a gorda bem resolvida... ahah... Prefiro ser a magra infeliz... ahahah... Eu tenho uma verdadeira nóia com gordura...

E o que vejo dos homens femininos é que ele pagam um preço alto... sejam eles gays ou não... Mas eu gosto dos homens femininos e muito...

Beijocas querido!

Marcelo disse...

A única observação que faço às pessoas é a seguinte: "Eu não sou santo!" Não faço tipo algum, mas se me acham uma graça, um fofo e um "amorzinho", por que eu vou negar isso? kkkkkk Só deixo aquela observação do início a elas para que, num futuro não muito distante, elas não se espantem ao me verem com o humor contrário. Mas na família e entre amigos, a vontade de mostrar "o não ser" aos outros virou religião, principalmente no quesito roupa e bens maiores...

Obrigado por me apresentar este Serginho, caso contrário estaria boiando neste texto...rss

*Não vejo BBB, só acompanho NNN(nanando na noite) kkkk

Abraço!

Serginho Tavares disse...

ser o que ser quer ser ou o que se é acaba sendo sempre uma coisa dificil nessa sociedade mega preconceituosa que vivemos

Ava disse...

Hummm... Sabe que até me deu vontade de colocar um pircing...rs

É que vizualizei a cena pelo ângulo da felicidade e da descontração, com que voce a descrevea atitude da moça.

"Sim, considero feliz qualquer pessoa que é como é se assume assim..."

E ao proferir essa frase, voce sintetiza todo o seu texto.

Vivemos em uma época de ditaduras...
Moda, beleza, magreza, riqueza, raça, cor, e por aí afora...

São tantos preconceitos e neuras, que se não nos assumirmos como somos, estamos fadados à infeliciade, à frustração, à vergonha e a todo tipo de sentimentos que só destroi o que de melhor há em nós: A ESPONTANEIDADE!


Beijos meus!




PS: Estou de olho na fotos... Até agora, já tenho a minha preferida...rs

Michele Moura disse...

Adorei a tua reflexão!
Ainda outro dia estava comentando com umas colegas no trabalho que existem pessoas que parecem ter prazer em apontar os "defeitos" das outras.
Eu pessoalmente acho isso desnecessário e desrespeitoso.
É constrangedor ver pessoas perdendo a noção do ridículo? É, mas é um direito que elas têm!
Se cada um se preocupasse com a sua própria vida, seríamos todos bem mais felizes.
É espantoso que pra ajudar ou congratular por algo legal não aparece quase ninguém, mas pra espinafrar, humilhar, magoar parece que há quem faça plantão.
Não consigo entender o que se ganhar menosprezando quem é diferente da gente!?
Uma das minhas colegas diz que deve ser algum tipo de inveja: quando uma pessoa percebe que outra lhe supera de alguma maneira, tenta logo diminuir aquela pessoa pra supervalorizar a si mesma.
Isso é triste! E doentio...

bjo querido


P.S.: blog novo:

http://contemplativa-mente.blogspot.com

@philipsouza disse...

sempre a humildade ganha o jogo....

abraçao meu amigo

Francisco disse...

É meu amigo...!
Nós geminianos temos mais facilidade em transitar entre os opostos e "diferentes".
Penso como vc.
Adoro mulheres, mas "ser um homem feminino, não fere o meu lado masculino..." já dizia Pepeu. rsrs
Aquele abração!

Michele Moura disse...

O carinho é recíproco e sincero!

E como já diria Lulu:

"Tudo muda o tempo todo no mundo / Não há razão pra fugir... / Há tanta vida lá fora"

:)

Dil Santos disse...

Oi Robson, tudo bem?
Ficou excelente o texto, muito bom mesmo, a forma que vc levou e chegou ao tópicos principais. A sociedade é muito preconceituosa, em todos os sentidos. Se vc é gay, negro, gordo, pobre, são os alvos escolhidos para a retaliação de comentários maldosos.
Mas é tudo uma questão de como vc vai se impôr perante ela, a maneira com que vc vai lidar e levar a situação, isso pode fazer toda a diferemnça e ao invés de vc ser o alvo das gozações, será o alvo das admirações, pois sabendo como agir, sabendo como viver dignamente, as pessoas sentirão orgulho por vc e vc mais ainda, por se tornar e ser quem vc realmente é.
A frese q vc citou no comentário é perfeita e verdadeira.
Espero mais vizitas suas por lá.
Abraços
:)

@vitinhobinho disse...

Uma linguagem super gostoso para um assunto muito convencional .. gostei daqui

lpzinho disse...

Mais uma vez, post pra aplaudir!
Gostei demais de td q vc disse.
Acho, refletindo aqui... que o serginho naquela visita do BBB à fabrica da Honda foi exatamente isso. Em alguns momentos quase foi ele mesmo, e quase foi o chamado homenzinho comedido e tals. Já o cara da Honda, na minha opinião não escondeu o desconforto de ter que fazer merchandising com alguém tão diferente dele, ou daquilo que deve ser a verdade dele. Posso estar enganado mas enfim... achei isso.
E no geral seria tão bacana se cada um de nós pudesse simplesmente viver. Sem sentir medos, culpas, mágoas e ansiedades, nem julgar ou querer entender os outros moldando-os às nossas verdades!
Sobre essa coisa de sensibilidade...tenho notado que à medida que fui ficando mais velho mudei mto meu jeito de ser a ponto de um belo dia perguntar pra algumas amigas se elas achavam q eu estava sendo delicado demais. Algumas confessaram que qdo me conheceram, acharam q eu era gay. Outras me disseram justamente o inverso. Ou seja, eu sei q ando mais light em relação a vida, e que nada mudou... ou melhor, mudou, mudei, estou diferente na forma de viver! A namorada repara e agradece, afinal sou o que sou, sem máscaras.. amigo, homem, companheiro e isso até independe de ser com ela ou outra pessoa.
Isso eu acho que é viver. E em paz!
Abraço amigo!!!